A comunicação da informação

A comunicação da informação

Comunicar  significa transferir uma informação de uma pessoa para outra(s), mas um dos maiores inimigos  para a realizar essa tarefa com sucesso é quando o comunicador – pessoa responsável por transferir a informação – se esquece de como era não saber.

Pessoas que não se lembram como era não saber, quando precisarem ensinar alguém provavelmente se frustrarão. Lembrar de como era não saber facilita a comunicação da informação para alguém que não sabe ou que nunca ouviu dizer nada sobre o assunto.

Você se lembra de como era não saber ler? De como era não saber andar? De como era não saber dirigir? De como era não saber andar de bicicleta? De como era não saber amarrar os sapados? De como era não saber fazer o que você faz? Tente ensinar para alguém uma dessas coisas.

Demétrio pensando que não lembra como fazer as coisas

Ao expor uma informação, embora você conheça o assunto, seu público pode não ter a menor ideia do que você está dizendo, afinal muita gente não tem acesso ao conhecimento que para você é comum. Uma solução para esse problema, conforme explica Richard S. Wurman (2005, p. 83-84), é contar às pessoas um fato conhecido que possa ser associada a essa nova informação apresentada, oferecer algum contexto familiar ao público que permite a uma conexão para a nova informação.

Segundo o autor, quanto mais treinar a capacidade de compreender como é não entender, melhor será o preparo de uma mensagem para a compreensão, não importa o meio de comunicação que utilizar para sua transmissão.

Demétrio lendo um livro para desaprender o que já aprendeu

Quando nos colocamos no lugar de alguém que vai ouvir pela primeira vez a informação que você já conhece, tentar prever suas perguntas é uma boa tática para conseguir transmiti-la da melhor forma. Os meios que mais determinam a maneira como os recebemos uma informação são a escrita, as artes gráficas e o audiovisual. Assim, palavras, números, imagens, sons e vídeos são os únicos recursos que temos para tentar chegar à compreensão de algo.

Nathan Shedroff (apud Id. Ibid., p. 28) em um texto denominado “Um panorama da compreensão” nos lembra de um ótimo método para transmitir melhor uma informação:

“Uma das melhores maneiras de comunicar o conhecimento é por meio de histórias, porque as boas histórias têm uma trama cheia de detalhes, permitindo que a narrativa proporcione terreno seguro sobre o qual construir a experiência […]”

Demétrio começa a contar uma história: "era uma vez..."Como professor nas áreas de tecnologia multimídia, web e comunicação digital, um dos maiores desafios que enfrento nas minhas aulas, além claro de se manter atualizado constantemente, é conseguir comunicar aos meus alunos informações que são tão complexas que exigem, muitas vezes, horas e horas de planejamento. Contudo, com o tempo de dedicação nos estudos e práticas, venho aperfeiçoando e melhorando a minha didática. A técnica de associar ideias ao que está sendo explicado, colocar exemplos do cotidiano e contar histórias com base nos conteúdos tem me ajudado a conseguir bons resultados.

Bibliografia: Wurman, Richard Saul. A ansiedade da informação 2: um guia para quem comunica e dá instruções. São Paulo: Editora de Cultura, 2005.

Este é um conteúdo autoral licenciado pela licença Creative Commons

Atribuição-Não Comercial CC BY-NC
Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Deixar resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3591