Cópia? Tentação? Não. Propriedade intelectual.

Olá. Nosso texto de hoje não tem receitas, conceitos ou respostas. É basicamente um questionamento quanto à inovação, desenvolvimento de novos produtos e cópia. Claro que inovações que alguns fornecedores colocam no mercado são absorvidos e interpretados por outros, mas e aí? Qual a medida? Tem medida? Pode? Quando estamos ferindo a propriedade intelectual de outras pessoas ou empresas?

O assunto é mais que extenso; então, minha proposta é aguçar sua busca por orientações que possam proteger você e também respeitar a Propriedade Intelectual de pessoas e empresas. Afinal, um dia você também pode se considerar lesado caso seu produto seja literalmente copiado.

A área que trata desse assunto é o que chamamos de Propriedade Intelectual. Este assunto é recente e no mundo em constante mutação… mutação mesmo… muitos dos critérios e situações acerca deste tema ainda estão sendo formatados. Então o que cabe a nós?

Cabe a nós nos questionarmos infinitamente sobre como não lesar os outros e também de alguma maneira proteger nossa propriedade intelectual. Sabe… “não cair em tentação”.

Abaixo temos alguns dos questionamentos que devemos fazer nortear o Desenvolvimento de Produtos levando-se em conta a proteção à Propriedade Intelectual:

– o produto já foi desenvolvido por outro fabricante? No Brasil? No Exterior?

– será que é interessante introduzir um produto tentando representar o fabricante? Pagar royalties?

– produtos com licenças abertas? Tem? Creative Commons em produtos? Como posso usar?

– domínio público? Hein?

– que tipo de empresário/profissional eu quero ser?

Mesmo que por último, esta é a mais importante pergunta que devemos fazer. Que tipo de empresário/profissional eu quero ser?

Pesquisar sobre todas as outras é possível através de órgãos que tratam da proteção à Propriedade Intelectual e alguns exemplos seguem abaixo, mas para esta pergunta a resposta já deve estar dentro de você.

Enlouquecendo com suas dúvidas? Só há um jeito, pesquisar. Ler, estudar, conversar ou contratar profissionais. É um caminho árduo, mas vale a pena. Boa pesquisa e até a próxima! Cópia? Tentação? Não. Propriedade intelectual.

 

Instituto Nacional de Propriedade Intelectual. No site é possível pesquisar conceitos sobre registro de marcas, patentes, registro de desenho industrial, entre outros. É também possível pesquisar sobre registros concedidos. Assim… nada de cópia. Link: http://www.inpi.gov.br/

Licença Creative Commons. Vale a visita e a pesquisa sobre tipos de licenças que podem ser utilizadas em que o conceito principal não foi exatamente a proteção, mas a disseminação de informação. Não é “casa da Mãe Joana” não. Tem regras também, vários tipos de licenças, então atenção ao que cada uma propõe. O link é: https://creativecommons.org/licenses/?lang=pt_BR

 

 

 

Este é um conteúdo autoral licenciado pela licença Creative Commons

Atribuição-Não Comercial CC BY-NC
Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Deixar resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3790