Lei assegura cursos de extensão para idosos nas Universidades

Maior parte da população brasileira na terceira idade só tem o Ensino Fundamental

Instituições de ensino superior terão que ofertar cursos de extensão para idosos. É o que determina a Lei 13.535/2017, sancionada na última sexta-feira (15) e publicada nesta segunda-feira (18) no Diário Oficial da União.

O senador Cristóvão Buarque aprovou uma lei que obriga as Universidades Públicas à oferecem cursos de interesse e voltados ao público da terceira idade. 

Considerando o aumento da longevidade e a inversão da pirâmide etária – até 2040 os maiores de 60 serão 57% da população brasileira* – a nova lei – integrada ao Estatuto do Idoso – visa atender a um perfil da população que, em grande parte, possui apenas a formação em nível fundamental.

Os cursos de extensão para idosos visam qualificar essa parcela da população de forma adequada e ainda melhorar o nível educacional da população brasileira em geral, já que cada vez mais se discute a necessidade de políticas públicas e práticas sociais que aproveitem a mão de obra madura.

Artigo recente do uol (*https://economia.uol.com.br/blogs-e-colunas/coluna/daniela-lago/2017/12/09/populacao-idosa-aposentadoria-leis-trabalhistas-carreira.htm) defende que a maior parte dos futuros idosos não pretende deixar de trabalhar após a aposentadoria. A notícia é boa considerando as limitações do nosso sistema previdenciário; mas a cultura de desvalorização dos profissionais experientes precisa acompanhar a mudança demográfica.

 

Deixar resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4565