Sou ou estou vulnerável?

Sou e algumas vezes, estou!

Ter clareza de quais são as minhas vulnerabilidades me permite planejar os caminhos de forma que eles sejam mais tranquilos e prazerosos. Isto não é nenhuma vergonha, é autorrespeito.

Antes de definir um destino pense: estou em condições de encarar esta viagem? Não adianta ter o sonho de chegar ao pico Everest e morrer no meio do caminho por falta de preparo ou condições físicas. Tenho alguma intolerância alimentar? Alguma limitação física? Como me sinto no frio ou calor extremo? Sabendo que isto é um ponto fraco, posso me preparar para reduzir seu impacto.

Por isto o autoconhecimento é tão importante! Ninguém melhor do que eu para saber quais são as minhas vulnerabilidades.

Mas quando viajamos, também podemos nos colocar em situação vulnerável por não pensarmos ou avaliarmos de forma correta certos cenários. Por exemplo:

O local que desejo visitar está sob conflito? Então, reconsidere. É realmente necessário ir a este local AGORA?

Sou mulher e vou viajar sozinha. Qual o papel da mulher no local onde vou viajar? Como são tradicionalmente tratadas? Como se vestem normalmente? Viajar sozinha ou mesmo andar sozinha por determinado lugar, requer estudo e avaliação prévia do local, dos costumes, das tradições.

Há alguma doença endêmica na região? Verifique as vacinas necessárias e proteja-se!

Quais os índices de criminalidade nos locais a serem visitados? Se a cidade é violenta, não ouse sozinho(a). Busque um guia local que te apresente o lugar em segurança.

Ama a natureza e quer ir conhecer uma cachoeira deserta e maravilhosa? Não aventure-se sozinho(a) por atrativos naturais que você não conheça bem. Um problema pequeno (uma torção por exemplo) pode se tornar um problemão se você estiver sozinho(a). E sempre avise alguém quando for explorar locais onde a comunicação é complicada.

Não falar determinado idioma me torna vulnerável em um país longínquo? Buscar um tour local guiado por alguém que se comunica com as duas partes pode ser uma opção mais sensata.

Enfim, estar vulnerável é uma condição temporária que nos colocamos de forma consciente ou não. Há situações de vulnerabilidade das quais só nos damos conta depois, quando olhamos para trás e vemos que por distração, excesso de confiança ou arrogância nos colocamos em situação vulnerável desnecessariamente. Felizmente, sem nenhum problema (talvez por sorte ou proteção divina…)!

Mas estar em uma situação vulnerável pode lhe trazer mais que medo e estresse, pode ser também a oportunidade de constatar que ainda existe solidariedade, humanidade e respeito neste mundo. Encontro de seres humanos que se reconhecem em suas vulnerabilidades em qualquer lugar do mundo.

Então faça sua reflexão, prepare-se e… boa viagem!

 

Imagem Pixabay

Este é um conteúdo autoral licenciado pela licença Creative Commons

Atribuição-Não Comercial CC BY-NC
Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Deixar resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3501